Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Lobito não é uma cidade qualquer

Lobito e a sua história - compilação


Domingo, 13.05.12

DR FREDERICO SEQUEIRA BAGORRO - 1932

1932

 

Dr Frederico Sequeira Bagorro  Jun 32 -

 

Logo em Setembro de 1932 foi nomeada outra comissão administrativa presidida pelo Sr. Comandante Manuel Augusto dos Santos Botelho (capitão do

Porto do Lobito)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sao pernadas às 00:48

Domingo, 13.05.12

DAVID MESQUITA - 1930-1931

1930-1931

 

David Mesquita

 

(30/07/30)

 

suspende mandato em 11-Dez-1931

Secretário - Raul Cardon Galiano

 

No Jornal do Lobito de 22 de Dezembro de 1931 vem a notícia de que a Câmara Municipal do Lobito depôs o seu mandato na sessão de 11 de dezembro de 1931, tendo em conta não ser possível cumprir o orçamento já aprovado, por terem as suas receitas sido cerceadas em perto de 70% pela portaria 889 dimanada do Governo Geral da Colónia.

 

Em 1931 foi colocado como Administrador do Lobito o Sr. Otelo Henriques da Fonseca.

 

Foi nesta vigência que saiu o primeiro número do Jornal O Lobito
AS ASPIRAÇÕES DO LOBITO, segundo o jornal O Lobito
Concessão do foral da cidade, entre outros
"Secunda esta Associação o pedido de concessão do foral que a Câmara Municipal, insistentemente vem fazendo há muitos anos.
É um pedido legítimo que à Câmara de Benguela foi satisfeito por Decreto-lei do Alto Comissariado da República, número 164, de 26 de Maio de 1922. Tendo a Câmara a pesadíssima missão de promover os melhoramentos urbanos necessários, há - em contrapartida - que se facultarem os meios de arrecadação de maior quantidade de receitas. E a concessão de foral é um desses meios".
Entrevista ao presidente camarário sobre os problemas vitais da cidade
NOTÍCIAS DE 1931 - REDUÇÃO DE 30% NO VENCIMENTOS DOS FUNCIONÁRIOS - Outra crise outrora - J O Lobito Fevereiro 1931
Noutro número: "... expor-nos a a desgraçada situação, em que por falta de emprego, se encontram hoje, no Lobito, pelo menos, 115 pessoas.... Esta situação tende a agravar-se... pode considerar-se uma consequência do Dec-lei nº 19.775 que, impedindo e dificultando as importações e as transferências, afasta a entrada de capitais e tira a todos a veleidade de se fazerem construções de casa e quaisquer outras obras".

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sao pernadas às 00:45

Domingo, 13.05.12

JOÃO VIANA LEMOS DA COSTA SALEMA - 1928

1928


João Viana Lemos da Costa Salema

 

(posse em 09 de Janeiro de 1928)

 

Em Julho de 1928 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sao pernadas às 00:36

Domingo, 13.05.12

ALBERTO CARLOS APRÁ - primeiro presidente CML

1914 - Janeiro - 03

 

Alberto Carlos Aprá (Almirante) – 1871/1952 (marinha-1º tenente, faleceu no posto de Contra-Almirante com 81 anos de idade).

Maçon da "Loja da Madrugada".

Nomeado como Capitão do Porto do Lobito em 26 de Outubro de 1912

 

 

Quando foi criada a Capitania do Porto do Lobito, o 1º tenente Carlos Aprá foi nomeado para esse cargo (26 de Outubro de 1912).

 

É criada em 1911 a Intendência do Lobito por Norton de Matos no sentido de resolver uma situação insustentável entre o Lobito e Catumbela, já que o Lobito estava anexado à Câmara Municipal da Catumbela e todos os seus rendimentos eram entregues a esta câmara, a qual não gastava nada com o Lobito. E assim terminou a C M Catumbela.

 

É também criada por Norton de Matos a Intendência do Lobito a fim de afirmar  a autoridade portuguesa, já que na Baía do Lobito viviam muitos estrangeiros, a maioria trabalhadores de exportação para o CFB.

 

Carta em 26 de Agosto de 1952 de Aprá ao Município quando lhe comunicaram que ireia ser dado o seu nome a uma rua da cidade.

“Estava o Lobito cheio de ingleses que, embriagados andavam pelas ruas provocando desordens até altas horas da noite... Comecei por publicar editais para provar a existência da autoridade portuguesa. Determinou que as casas de pasto fechariam à meia-noite, com 15 min de tolerância. A desobediência seria punida com multas aos proprietários dessas casas e presos seriam os fregueses recalcitrantes. Um dia, porém, aconteceu: determinado número de ingleses que consideravam esta terra já sua conquistada, bêbados, recalcitraram e desobedeceram. Pois o 1º tenente Aprá não esteve com meias medidas. Foi ele mesmo à casa de pasto, acompanhado de um sargento, que era secretário da Intendência, intimar o encerramento das portas. Três ingleses muito embriagados, negaram-se a sair. Foi o diabo...Manrinheiro duro, à antiga portuguesa, mandou cipáios arrancá-los à força e foram passar o resto da noite na cadeia. No dia seguinte, como o 1º tenente fosse também o juiz-instrutor, mandou chamar o cônsul inglês a quem expôs o sucedido. Julgou depois os desobedientes, lavrando sentença condenatória traduzida em multas pesadas, que foram pagas para exemplo dos outros".

A partir de então começou a sentir-se a autoridade portuguesa.

 

LOBITO BAY era a designação nos primódios desta cidade e foi terminantemente proibida pelo governador Norton de Matos.

 

 

 

 

 

A primeira câmara municipal do Lobito e Catumbela foi empossada a 03 de Janeiro de 1914, sendo o seu presidente em acumulação com o cargo de capitão do PL.

 

Aprá criou uma escola primária, um matadouro e outros departamentos de serviços.

 

Primeira vereação:

Alberto Carlos Aprá

Acácio Ribeiro Silva

Guilherme Mendes da Silva

Júlio Cortez da Silva Curado

Júlio Tavares Coutinho

 

Não encontro referências para a duração do mandato.

 

Foi casado com Dona América, que viúva, viveu até muito velhinha na cidade do Lobito. Teve direito a um passe vitalício para usar nos transportes públicos.

 

(retirado dos textos de Pedro Fragoso de Matos e da Internet)

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sao pernadas às 00:16


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2016

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Posts mais comentados



Arquivo

2016

2012